quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Bom ano!

Foto: S.Soares - Pico
Receita de ano nov0- Carlos Drummond de Andrade
Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intençõespara arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditarque por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Os favoritos de 2008

Música - (a ordem é aleatória)
Portishead - Third
Sigur Rós - með suð í eyrum við spilum endalaust
Coldplay – Viva La Vida
Metallica - Death Magnetic
Thievery Corporation – Radio Retaliation
Tindersticks - The Hungry Saw
Nick Cave and the Bad Seeds - Dig!!! Lazarus!!! Dig!!!
Hercules and Love Affair - Hercules and Love Affair
Radiohead - In Rainbows
Brad Meldhau Trio Live (jazz)
... e tantos outros...

Melhor descoberta musical em 2008....
Anthony and the Jonhsons (vem a Portugal em 2009 com novo disco)

Filmes que vi em 2008 e gostei
Este País nao é para Velhos
Into The wild
Tropa de Elite
There Will Be Blood
Bom Pastor
Sweeney todd
....e muitos outros que agora não me recordo.


Livros que gostei em 2008
Paul Auster- Homem na Escuridão
Lobo Antunes- Crónicas vol-1
Haruki Murakami - Em Busca do Carneiro Selvagem
Haruki Murakami - Dança, Dança
Cormac McCarthy - Estrada
Paul Auster - Post scriptum
Bem-Shahar - Aprender a Ser Feliz
Fareed Zakaria - Mundo Pós-Americano


Concertos preferidos que assisti em 2008
Metallica
Leonard Choen
Madonna
Sigur Rós
Jay-Jay Johanson
Mariza

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

O outro natal...

Amigo, companheiro, carinhoso, docil, amistoso, educado, inteligente, alegre e verdadeiro.
Regresso ao passado....
Olhar as emoções nas ondas....

Fotos: S.Soares

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Bom Natal

Acordei assim, com um breve olhar sobre o mar do Pico.

Fotos:S.Soares



segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

domingo, 21 de dezembro de 2008

Há sempre uma primeira vez...

Apesar de consumir algumas vezes vinho, só nos últimos 6 anos comecei a tentar perceber a rica e complexa cultura do vinho. Tenho tentado entender todo o seu processo e estrutura, embora esteja ainda numa etapa inicial. Curioso!
Sempre ouvi falar no histórico “Barca Velha”, mas devido ao seu “peso” financeiro, nunca tinha provado. Este domingo tive o prazer de ter esse “orgasmo gastronómico”.
O meu grande amigo, compadre, lutador, positivista, super-homem nesta vida, R. Gaspar, partilhou comigo uma dessas “garrafitas” É mesmo bom!!!!
Agora levanta-se um problema, a partir daqui vai ser mais difícil dizer que este ou aquele vinho é bom.... não sei quando vou voltar a abraçar um Barca. O Próximo alvo é um Batuta.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Acreditar.... Bom descanso

Acreditar...
Somente acreditar...
Pensa nos que te rodeiam,
Naqueles que acreditam em ti...
Eu acredito...
A vida é tão curta para a enchermos de “não consigo”
Viver é acreditar...
Acreditar num mundo melhor
Acreditar que o sol irá brilhar amanhã
Acreditar que podemos ser felizes
Acreditar que os nossos desejos se vão realizar.
Acreditar... acreditar... acreditar.
Acreditar para poderes sorrir,
Acreditar para poderes sentir,
Acreditar para poderes viver.
Para que o mundo te possa sorrir
Tens que sorrir para o mundo e acreditar...
Mais uma vez acreditar que és capaz
Aquilo que tu desejares não se realizará
Apenas se não acreditares.
Por isso acredita na vida, para que a vida possa acreditar em ti.


(Andreia, não sei quem é, encontrei na net)

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

O fado de Lisboa....


Foto: S.Soares (10-11)

Lisboa e o brilho do seu rio com o Cristo Rei a dar as boas vindas. Uma cidade com “Vida” suspensa no tempo. Ruas com história e com vários horizontes entre a luz e a escuridão.

O tal... polémico e genial

Não me canso de sublinhar, esta personagem ésta sempre bem e este sketch é um mimo!Do melhor!

domingo, 14 de dezembro de 2008

Sentidos:Visão sobre P.Delgada

Fotos: S.Soares






Domingo.

(...)

Como diz o ditado, depois da tempestade vem a bonança. Uma intervenção dos deuses.

sábado, 13 de dezembro de 2008

Porto da Felicidade...

....Chama-se autoconfiança. Simultaneamente é preciso ACREDITAR e também AGIR para que possamos alcançá-lo! Pega-se num pequeno barco, num dos remos escrevemos agir no outro acreditar e remamos até ao infinito, pescando pelo meio a felicidade.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Fim-de-semana em fuga...


Uma corrida em busca do horizonte.
Uma linha que brilha
Uma caminhada em liberdade
Uma meta sem fronteiras.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Comovente!

Isto faz-me pensar no caminho da humanidade, no egoísmo selvagem, na falta de amor pelo próximo.
Aqui, um animal dá um exemplo ao ser humano. Ao ver um cão a ser atropelado numa perigosa auto-estrada, um simples cachorro arrisca a vida para salva-lo. Dá que pensar.
Como já aqui escrevi, à medida que conheço melhor os Humanos desta sociedade, cada vez gosto mais de aprender com os animais, porque também falho....



Conclusão: Nós somos cada vez mais animais e os animais cada vez mais humanos!!!

Wild Horses

Pois...





I feel these four walls closing in
Face up against the glass
I'm looking out, hmmm
Is this my life I'm wondering
It happened so fast
How do I turn this thing around
Is this the bed I chose to make
There's greener pastures I'm thinking about
Hmm, wide open spaces far away

All I want is the wind in my hair
To face the fear but not feel scared

wild horses I wanna be like you
Throwing caution to the wind, I'll run free too
Wish I could recklessly love like I'm longing to
I wanna run with the wild horses
Run with the wild horses, oh

sábado, 6 de dezembro de 2008

Bom e polémico...

Acabei de ver o programa de humor do Canal-1 “Os Contemporâneos”.Considero que vai dar que falar. A personagem o “Chato”, aquele que diz: “vai mas é trabalhar”, decidiu meter-se num confessionário e gozar com um padre. Foi brutal, mas penso que a Igreja portuguesa vai fazer barulho. Uma coisa é certa, o actor Nuno Lopes (um excelente e versátil actor) esteve mais uma vez muito bem. Repito, é a melhor personagem de humor na TV nacional, na minha opinião, claro.
Fica aqui um exemplo de um “sketch” mais antigo:

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Bom descanso!

Anatomia dos sentidos do grande Marley....

Construir


O mundo está nos sentidos.
Somos nós que construímos as nossas imagens. O que vemos é uma mentira. A verdadeira realidade é construida dentro de cada um. Não se deixem enganar pela voz do pensamento e da mente, desliguem e construam a vida que desejam.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Sempre profundo e verdadeiro.... "louco"

Texas Radio And The Big Beat.... Love me two times...

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Missão...


Tentem ver felicidade sempre como um meio, diariamente, e não apenas como um fim, uma meta num horizonte temporal.
Não basta ter um bom emprego, ser rico, amar ou ter uma casa de sonho para sentir a felicidade. Está para além do que vemos ou sentimos.

Ser feliz é um conceito que aplicado à vida devia exigir, por vezes, sacrificar um pouco a nossa felicidade em prol da felicidade do próximo. Criar uma corrente de altruísmo numa sociedade cada vez mais virada para liberdade individual.
Se querem assim, deixem a liberdade (sempre limitada no paradigma filosófico) correr, mas procurem-na primeiro dentro da alma e depois libertem os prisioneiros. Deixem-nos ser felizes!

domingo, 30 de novembro de 2008

sábado, 29 de novembro de 2008

Acordei assim... Viva la vida

Um olhar alegre sobre a vida na música e letra dos Coldplay, num dos melhores trabalhos da banda.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

viver

criar a nossa realidade em vez de reagirmos a ela.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Ordens do sistema digestivo...

O que diz o sistema digestivo ao viagara quando chega ao estômago:

- JÁ!!!! PARA O CARA****** !!!!

PS- Um dia destes entrei no trabalho a ouvir esta.

Passos....


A geometria de um espaço não se vê apenas pelos metros quadrados.
A condição do tempo está muito por além dos minutos da vida.
A ligação entre esta e a outra vida é uma fronteira sem rosto.
A felicidade exige uma aposta no poder do agora e o respeito pelo futuro.
A alegria é uma infelicidade quando olha apenas o dia seguinte.
Há sempre um intervalo que devia ser procurado na paz interior.
Há sempre uma inconsciência colectiva no pensamento das multidões
Há sempre um risco de abraçar o mundo com todas as certezas.
Há sempre uma vitória na derrota, um caminho aprendido pela vida.
Entre o A e o HÁ existe uma vida mergulhada em passos e pensamentos.


S.Soares

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Vencer o medo...

"(...)Tudo aquilo a que fechamos os olhos, tudo aquilo de que fugimos, tudo aquilo que negamos, denegrimos ou desprezamos, acaba por contribuir para nos derrotar. O que nos parece sórdido, doloroso, mau, poderá tornar-se numa fonte de beleza, alegria e força, se o enfrentarmos com largueza de espírito. Todos os momentos são momentos de ouro para os que têm a capacidade de os ver como tais. A vida é agora, são todos os momentos, mesmo que o mundo esteja cheio de morte. A morte só triunfa ao serviço da vida."
(Henry Miller)

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Bom descanso!



Yearning for more than a blue day
I enter your new life for me Burning for the true day
I welcome your new life for me Forgive me,
Let live me Set my spirit free Losing,
it comes in a cold wave Of guilt and shame all over me
Child has arrived in the darkness
The hollow triumph of a tree Forgive me,
Let live me Kiss my falling knee Forgive me,
Let live me Bless my destiny Forgive me,
Let live me Set my spirit free
Weakness sown, Overgrown
Man is the baby

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Confirmado!

Não é que as visitas aumentaram mesmo, na quarta-feira, dia da publicação das fotos de nudez!!!
Basta ver o gráfico... há coisas....

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Visitas em queda...

Subir as audiências do blog com nude art.... Para todos os gostos....

terça-feira, 18 de novembro de 2008

O melhor do panorama nacional

Este personagem já faz história. Está brutal.



....vai mas é trabalhar!!!!!

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Too fast to live, too young to die...

Bryan Ferry é um dos símbolos maiores do “cantor romântico”. Fez parte da referência Pop – Roxy Music- e a solo deu sempre caminho às oscilações do amor, da paixão e dos encontros e desencontros.
Hoje, apeteceu-me recordar esta grande canção, embora tenha passado um pouco ao lado em 94. Contudo, despertou-me sempre um simples sorriso pintado numa magia de cores… afinal, como ele diz: "Too fast to live, too young to die..."

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Corrente!

Foto:S.Soares
Num mar delével enalteces o grito do passado num rumo desmentido pela violência da mente.
São ondas de imaginação num cénico mundo de ilusões projectadas num celibato isolado.

Quem morde a aventura arrisca-se a um funesto presente alongado no horizonte da memória.
São birras, guerras, acusações entre o nada e a audácia angelical dos ponteiros do relógio

Despedaça os laçarotes de uma vestimenta que não é tua, de um lago seco de ideias.
São peixes mortos sorrindo a lambidela de uma natureza assassinada pelo luto de quem sobrevive.

Uma viagem magistral, findável, irreligiosa e irreconhecível.
São bofetadas indisciplinadas dentro de um barco que circula num oceano por descobrir.

S.Soares 14-11

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Toque de luz!!!

"Para ter certeza do caminho que se está seguindo, feche os olhos e ande no escuro.”
São João da Cruz

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

A noite dos Sigur Ros...




A remodulada praça de touros do campo pequeno (excelente espaço) foi palco de uma noite em que a voz e a música esconderam as palavras. Apesar de cantarem em islândes, os Sigur Ros (rosa da vitória) elevaram às estrelas o esgotado recinto. Uma viagem celestial balançando entre a melodia de uma de uma rosa e a força intensa de uma vitória. A voz mágica, em tom de falsete feminino, do vocalista ultrapassou o colete de forças da razão e deixou escorregar arrepios e uma ligeira lágrima. É na música que, muitas vezes, me reconheço.

domingo, 9 de novembro de 2008

Postal de domingo...

Foto: S.Soares
Circular entre o ontem e o amanhã com o hoje pelo meio.

sábado, 8 de novembro de 2008

Olha... a mala.

Foto: S.Soares
Não sei bem a razão, mas acontece muitas vezes, para não dizer sempre. Os tipos das malas nos aeroportos não simpatizam com a minha mala, é verdade que ela chega, mas é sempre das últimas. O caso fica mais complexo, quando o corpo está a gritar: nicotina!!!!!

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

A ouvir e a adorar... sempre iguais e excelentes.

Thievery Corporation - Hare Krsna (Live)



Uma das minhas bandas favoritas, no novo trabalho(Radio Retaliation) há caminhos em em francês, inglês, brasileiro, espanholetc. Esta dupla, de ponta na corrente electrónica, é fantástica. Há muitos anos....

Pessoas, sem Pessoa!

Aquelas que mais gritam, são as que têm o maior telhado de vidros e o rabo mais preso.
Aquelas que mais falam deviam ter a boca colada devido à sua identidade e passado/presente.
Aquelas que mais julgam fazem-no por sentir a consciência pesada em relação à sua vida.
Olhem para si antes de abrir a boca ou agir, parem, um pouco! Preocupem-se consigo, com o bem-estar e desempenho nesta sociedade estupidificada. Mas, não... o único orgasmo que têm no dia é apontar o dedo ao outro (quanto mais pessoal e violento melhor) ou ver alguém infeliz.
A critica faz bem quando fundamentada. Aplaudo! Todos falhamos, devemos ser chamados à razão.

Mas essa postura pequena não tem grau académico, não tem não! Está nos recalcamentos mais profundos da personalidade.
O mundo é tão grande e algumas mentes tão pequenas.
Até eu só obrigado, inconscientemente como agora ao escrever isto, a ficar mais pequeno....

Há medida que o tempo passa e conheço as pessoas adultas (algumas), cada vez gosto mais dos animais.

Apesar de tudo, gozo esse momento e sorriu na imaginação e prioridade do outro. O engraçado desta palhaçada é que as pessoas continuam a pensar que depois não se sabe o que disseram ou fizeram, esquecem-se que todos (quase todos) são iguais. Também mergulho nesse erro de acreditar!!!
Ignorar é a melhor resposta, mas também temos um dever no mundo: FORMAR. É nesta perspectiva que , ás vezes, devemos chegar à frente e mostrar que o mundo não é assim como eles pintam. Parece simples, mas não é!

Haja pachorra....dassse!!!!

Como diz o tipo dos Comtemporâneos (melhor programa de humor nacional) vão trabalhar!!!! Também vou... :)

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Classe dos palavrões numa economia de mercado...

Autor - Nilton Goulart *

"Coincidentemente comecei o meu dia de trabalho com um «Foda-se!», ao invés do meu regular optimismo perante a vida, que às vezes até mete nojo. Sabem como é?: Dou graças ao divino Sr primeiro ministro por ter um tecto para morar, e conseguir comprar pão, cerveja, e outros bens de primeira necessidade. Ridículo!!!
Então e as orgias, e os banquetes de mariscos?! Eu sei o que é qualidade de vida...apenas não me deixam exercê-la! Puta que os pariu...
Tenho de vergar a mola, se pretender adquirir habitação, à taxa Euribor, imposta por não sei quem...porque esta crise mundial surge em tantas frentes que nem sabemos qual o cabrão culpar, acrescida de um «spreadezito» imposto por um grupo de administradores, que em um mês ganham ordenados que até temos alguma dificuldade em julgar se será possivel!!
E o estado a dar casas a quem não faz um caralho!!
E deixam esta merda ficar em crise?! Porra!! Era lhes dar com um gato morto nos cornos até ele miar!!!
Claro que ainda temos de aturar os preços do petróleo, a especulação, e os lobbys adjacentes!!!
Enquanto isto, morrem crianças à fome...
Sou um cabrão afortunado, mas puta que pariu, olhem uns pelos outros!
Depois, andam uns para ai, uns cabrões de uns ricaçoes, em tempo de eleições, a dizer que o problema é o rendimento minimo, filhos da puta... Invejosos do caralho, só porque um cabrão de um gajo que não sabe assinar o nome, enganou o presidente da junta, que até lhe deu uns sacos de cimento, e que possui à boa maneira do Zé portuga, um telemóvel e um prato na barraca paga pelo governo, com a palavra «TV cabo», da qual às tantas o «critico» é administrador, possui um Audi, um Jeep Mercedes, duas casas de férias, e é capaz de enganar o estado na Declaração de IRS, mas querem fiscalização é no rendimento mínimo. E há quem engula estas merdas!!! Vão lá fiscalizar quem ande a meter ao bolso a sério, e façam-nos pagar a factura, se querem ver se não se acaba a crise!
Caralho que vos fodam!!!
Prontos, veio mesmo a calhar...estava mesmo a precisar!!!
Sei que o assunto à excepção dos palavrões, nada tem a haver com o texto, mas se pensam que tinha o intuito de por algum motivo fazer sentido, enganam-se...
Apenas quis que lessem um conjunto de inutilidades, como aquelas que vocês compram no hipermercado, quando iam apenas buscar uma caixa de leite.
Ide-vos fecundar! "

* Comentário ao post “Desculpem, mas não resisti” com o texto de Millôr Fernandes sobre o uso do palavrão. (Ver no final desta página)

Estados Unidos têm um novo “Burako”...

....o Obama”

Pronto, o mundo está histérico, o menino Obama ganhou e agora???? Passou a euforia, a felicidade etc. Agora quero ver esse menino agir e responder com nível a toda a atenção que o mundo lhe deu, a toda a parcialidade da comunicação social e a toda palhaçada, em forma de messias, escrita à sua volta.
Espero estar errado em prol de um mundo melhor. Se estiver sou o primeiro a aplaudir.

PS- Como sempre disse, nestas eleições, o meu voto foi em branco. Al Gore ou Hilary Clinton não foram candidatos.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Eleições: Masters of War...

Neste dia eleitoral nos USA, fica uma das melhores letras sobre um certo espirito que imperou durante décadas. Espero que mude.

Eddie Vedder, com a sua brutal voz, num original dos mestre Bob Dylan.


Masters Of War
Come you masters of war
You that build all the guns
You that build the death planes
You that build the big bombs
You that hide behind walls
You that hide behind desks
I just want you to know
I can see through your masks

You that never done nothin'
But build to destroy
You play with my world
Like it's your little toy
You put a gun in my hand
And you hide from my eyes
And you turn and run farther
When the fast bullets fly

Like Judas of old
You lie and deceive
A world war can be won
You want me to believe
But I see through your eyes
And I see through your brain
Like I see through the water
That runs down my drain

You fasten the triggers
For the others to fire
Then you set back and watch
When the death count gets higher
You hide in your mansion
As young people's blood
Flows out of their bodies
And is buried in the mud

You've thrown the worst fear
That can ever be hurled
Fear to bring children
Into the world
For threatening my baby
Unborn and unnamed
You ain't worth the blood
That runs in your veins

How much do I know
To talk out of turn
You might say that I'm young
You might say I'm unlearned
But there's one thing I know
Though I'm younger than you
Even Jesus would never
Forgive what you do

Let me ask you one question
Is your money that good
Will it buy you forgiveness
Do you think that it could
I think you will find
When your death takes its toll
All the money you made
Will never buy back your soul

And I hope that you die
And your death'll come soon
I will follow your casket
In the pale afternoon
And I'll watch while you're lowered
Down to your deathbed
And I'll stand o'er your grave
'Til I'm sure that you're dead

domingo, 2 de novembro de 2008

O novo tio SAM...


O meu voto nestas eleições é em branco. Nenhum dos candidatos dá me garantias de uma governação bem-sucedida, contudo, prefiro que Obama vença. É novo, visionário, afro-americano e frontal na forma como explica e aborda as suas ideias. Nem que seja pelo facto de me identificar mais com a ideologia democrata. Todavia, não vivo na euforia mundial à volta de Obamania. Algo me diz que vai ali uma demagogia exagerada e expectativas elevadas. Quando assim é nem sempre os resultados são os mais desejados. Uma coisa é certa: Vai ser melhor que Bush (até eu)! O meu candidato foi e será o SENHOR Al Gore por tudo o que vez pelas auto-estradas da informação, enquanto vice de Clinton, e agora pelo ambiente. Gosto dele, pronto!
Já não existe apenas uma América, existem várias dentro e fora dos Estados Unidos, o mundo mudou e só o arsenal militar fazem dos americanos a grande potência. A globalização está aí e novas potências elevam-se como a China ou a Índia.

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Brincar (...)

Conhecem a expressão acordar com os pés de fora?
- Claro que sim!
- Acordei assim!!! Ao que parece “o mundo” elegeu-me como palhaço do momento e resolveu brincar.
- Como assim?
- São chefes, alguns colegas/amigos, TMN, o carteiro, o médico que não diz nada, as coisas que desaparecem, as oscilações do corpo, a falta de respeito, a fuga às responsabilidades e a mentira.
- Brinca com eles!
- Boa ideia, agora passo a brincar!
- A bola está do teu lado!
- Prefiro colocar a máscara e guardar a bola para atirar à cara de alguém, afinal estamos em noite de Halloween. Que se F***
- Brinca, liberta a tua criança!
- Uma coisa é bricarem sem sabermos, outra é brincarrem e tu sorrires, sabendo que eles tentam o tal palhaço. Elevação!

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Visão: A adorar...

Depois do excelente "O Futuro da Liberdade"... aqui está mais um bom livro
"FAREED ZAKARIA é licenciado em história pela Universidade de Yale e doutorou-se em relações internacionais em Harvard, onde ensinou, aliás, filosofia política e relações internacionais. Antes de ser editor da Newsweek foi editor da Foreign Affairs, a prestigiada revista de política internacional. Zakaria recebeu dois Overseas Press Club Awards por trabalhos de reportagem na revista que dirige. É actualmente membro da Trilateral Commission, do International Institute of Strategic Studies e da International House da Universidade de Columbia"

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

AC/DC ....Velhos são os Trapos....

...como o Vinho do Porto....


AC/DC’s Black Ice rode the “Rock N’ Roll Train” straight to number one on 29 countries’ sales charts around the world.
AC/DC stormed to the top of the charts as Wal-Mart registers were ablaze with the beeps of 784,000 copies of Black Ice sold. The total ranks second to only Lil Wayne’s Tha Carter III in terms of best first week sales this year. For AC/DC, it was their biggest-selling first week in their history on the sales charts and the first time they sat atop the Billboard chart since 1981’s For Those About To Rock (We Salute You).

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Outono...


Um pedaço de som esbarrado na multidão,
Uma respiração espancada pelo olhar alheio
É Deus no meio de um retrovisor intemporal
Espreita o renascimento de um Homem.

Um monge percorre ondas de oceanos
Um chacal fixado na procura do seu nome.
A queda lenta da alma master da flor.
O segredo leva à loucura de quem sorri.

São quedas de olhos sem força de visão,
São lábios colados no silêncio da clemência,
São estranhos paladares de um Outono seco,
São instantes sorrisos além da humanidade.
S.S.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Fumo Sagrado....


Vasculha entre o nada e uma cegueira,
Um rio escondido no ruído da dança,
Os olhos brilham sós na escuridão,
A esperança de um vírus sem nada.
É uma comedia brilhante sem piada,
Ao rasgar o sofrimento do espelho,
Aquece o coração e esconde o rosto,
Uma chama que arde na corrida sem fim.
Inverdades do lume brando da vida,
Memorias de fogo posto na ausência
Uma guerra de palavras assassinas,
Um oceano revolto no caos do outro,
Brinda a gritaria numa fuga ao eu,
Violência na estação do templo,
Um imprevisto inerente ao tempo,
Uma lágrima quebrada nas palavras.
S.S.

domingo, 26 de outubro de 2008

O Miguel...

O mundo devia ser assim, a eterna inocência de ser criança.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Pois...

Era uma vez uma cobra que começou a perseguir um pirilampo.
Ele fugia com medo da feroz predadora, mas a cobra não desistia.
Um dia, já sem forças, o pirilampo parou e disse à cobra:
- Posso fazer três perguntas?
- Podes. Não costumo abrir esse precedente, mas já que te vou comer,
Podes perguntar.

- Pertenço à tua cadeia alimentar?
- Não.
- Fiz-te alguma coisa?
- Não.
- Então porque é que me queres comer?

- PORQUE NÃO SUPORTO VER-TE BRILHAR!!!
E é assim....
diariamente, tropeçamos em cobras!

Ps- Obrigado Judite Castro pela ajuda.

Desculpem, mas não consegui a resistir...

Millôr Fernandes - (adaptado)

"O nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional à
quantidade de "foda-se!" que ela diz.
Existe algo mais libertário do que o conceito do "foda-se!"?
O "foda-se!" aumenta a minha auto-estima, torna-me uma
pessoa melhor.
Reorganiza as coisas. Liberta-me.
"Não quer sair comigo?! - então, foda-se!"
"Vai querer mesmo decidir essa merda sozinho(a)?! - então,
foda-se!"
O direito ao "foda-se!" deveria estar assegurado na Constituição.
Os palavrões não nasceram por acaso. São recursos
extremamente válidos e criativos para dotar o nosso vocabulário
de expressões que traduzem com a maior fidelidade os nossos
mais fortes e genuínos sentimentos. É o povo a fazer a sua
língua. Como o Latim Vulgar, será esse Português Vulgar que
vingará plenamente um dia.
"Comó caralho", por exemplo. Que expressão traduz melhor a
ideia de muita quantidade que "comó caralho"?
"Comó caralho" tende para o infinito, é quase uma expressão
matemática.
2
A Via Láctea tem estrelas comó caralho!
O Sol está quente comó caralho!
O universo é antigo comó caralho!
Eu gosto do meu clube comó caralho!
O gajo é parvo comó caralho!
Entendes?
No género do "comó caralho", mas, no caso, expressando a
mais absoluta negação, está o famoso "nem que te fodas!".
Nem o "Não, não e não!" e tão pouco o nada eficaz e já sem
nenhuma credibilidade "Não, nem pensar!" o substituem.
O "nem que te fodas!" é irretorquível e liquida o assunto.
Liberta-te, com a consciência tranquila, para outras actividades
de maior interesse na tua vida.
Aquele filho pintelho de 17 anos atormenta-te pedindo o carro
para ir surfar na praia? Não percas tempo nem paciência.
Solta logo um definitivo:
"Huguinho, presta atenção, filho querido, nem que te fodas!".
O impertinente aprende logo a lição e vai para o Centro
Comercial encontrar-se com os amigos, sem qualquer problema,
e tu fechas os olhos e voltas a curtir o CD (...)
Há outros palavrões igualmente clássicos.
Pense na sonoridade de um "Puta que pariu!", ou o seu
correlativo "Pu-ta-que-o-pa-riu!", falado assim, cadenciadamente,
sílaba por sílaba.
Diante de uma notícia irritante, qualquer "puta-que-o-pariu!", dito
assim, põe-te outra vez nos eixos.
Os teus neurónios têm o devido tempo e clima para se
reorganizarem e encontrarem a atitude que te permitirá dar um
merecido troco ou livrares-te de maiores dores de cabeça.
E o que dizer do nosso famoso "vai levar no cu!"? E a sua
maravilhosa e reforçadora derivação "vai levar no olho do cu!"?
Já imaginaste o bem que alguém faz a si próprio e aos seus
quando, passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de
seu interlocutor e solta:
"Chega! Vai levar no olho do cu!"?
3
Pronto, tu retomaste as rédeas da tua vida, a tua auto-estima.
Desabotoas a camisa e sais à rua, vento batendo na face, olhar
firme, cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado
amor-íntimo nos lábios.
E seria tremendamente injusto não registar aqui a expressão de
maior poder de definição do Português Vulgar: "Fodeu-se!". E a
sua derivação, mais avassaladora ainda: "Já se fodeu!".
Conheces definição mais exacta, pungente e arrasadora para
uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de
ameaçadora complicação?
Expressão, inclusivé, que uma vez proferida insere o seu autor
num providencial contexto interior de alerta e auto-defesa. Algo
assim como quando estás a sem documentos do carro, sem
carta de condução e ouves uma sirene de polícia atrás de ti a
mandar-te parar. O que dizes? "Já me fodi!"
Ou quando te apercebes que és de um país em que quase nada
funciona, o desemprego não baixa, os impostos são altos, a
saúde, a educação e … a justiça são de baixa qualidade, os
empresários são de pouca qualidade e procuram o lucro fácil e
em pouco tempo, as reformas têm que baixar, o tempo para a
desejada reforma tem que aumentar … tu pensas “Já me fodi!”

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Assim, isto mesmo....

Antony And The Johnsons - Rapture...


Eyes are falling
Lips are falling
Hair is falling to the ground
Slowly, softly
Falling, falling
Down in silence to the ground
All the world is falling, falling
All the blue
From me and you
Teardrops falling to the ground
Teardrops
I'm talkin' 'bout your teardrops

For instance
Oh my mama
She's been falling
Falling down for quite some time
And oh my papa
He's been falling
Falling down for quite some time
Oh my friends
I've watched them falling
Falling softly to the ground
Like the leaves
The Leaves are falling
Down in silence to the ground

Is this the rapture
Is this the rapture
Why don't you tell me
Is this the rapture
Is this the rapture
Our father who art in heaven
For the kingdom, the power, the glory, yours
Now and forever

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Sugestão de transporte diário: Fiat Lux


Debate- RTP/RDP

Não gostei do resultado final, mas também já esperava tendo em conta o complexo figurino. Muitos candidatos e muitas ideias por explicar. É fácil lançar propostas, mas não se explica com números e com racionalidade a sua execução. Todos os candidatos tentaram fazer o seu papel, contudo, no fim ficámos como estávamos. Portanto, tudo igual. Não vai provocar alterações de voto. Valeu a iniciativa.

PS- Artur Lima não esteve bem com aquela piada para o Manuel Moniz.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Acordei assim, com saudades deste louco...

Tom Waits - Avô Ferrugem, o génio...
Ele é melódico, ruidoso, louco, sensível etc... faz várias vozes, todas elas roucas e, por vezes, monstruosas quase inaudíveis, mas é ele, o TOM. Ele toca e canta músicas, mas às vezes compõem coisas que estão muito para além do conceito formal do que é a música. Inventa, grita, mas também chora e faz coisas únicas. Vive quase isolado no meio de uma quinta com animais, mas o mundo chama sempre por ele.
Como escreveu o Daily Telegraph “The Greatest entertainer on the planet earth”
Fica aqui este tema da banda sonora "O Tigre e a Neve" de Roberto Benigni, um pedaço suave...



"A música de Tom Waits foge a qualquer tentativa de classificação. E, no entanto, é inconfundível. Foi ele quem escreveu (e cantou) the heart of saturday night, drunk on the moon ou too early for the circus, too late for the bars, entre outras expressões que retratam na essência as pessoas, as histórias e os ambientes da América profunda, numa linguagem quase cinematográfica. Waits, no seu aspecto tosco, voz roufenha e tom sarcástico, é dono de uma enorme sensibilidade. Um poeta dos tempos modernos”.

PS- Faz, por esta altura (também de eleições regionais), quatro anos, que comprei “Real Gone” um trabalho duro, difícil, mas com horizontes ilimitados. Acompanhou-me no carro de serviço na cobertura da campanha.

domingo, 12 de outubro de 2008

Momento zen...

Um alemão, procurando orientação sobre o caminho, pára o seu carro ao lado de outro com dois alentejanos dentro.

O alemão pergunta:
- *'Entschuldigung, können sie Deutsch sprechen?'*
Os dois alentejanos ficaram mudos.
Tentou de novo:
- *'Excusez-moi, parlez vous français?'*
Os dois continuaram a olhar para ele impávidos e serenos.
- *'Prego signori, parlate italiano?*'
Nada por parte dos alentejanos.
- *'Hablan ustedes español?'*
Nenhuma resposta. - **'Please, do you speak ****English****?'**
Nada. Angustiado, o alemão desiste e vai-se embora.
Um dos alentejanos vira-se para o outro e diz:
- Talvez devêssemos aprender uma língua estrangeira...
- Mas para quê, compadre? Aquele gajo sabia cinco... E adiantou-lhe alguma coisa?

É tempo de eleições.... aqui é diferente?

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Sem tempo...

Apesar de não ser candidato, longe disso, nem apoiar nehuma força política, a verdade é que estas eleições têm me tirado tempo para cultivar a minha anatomia dos sentidos. Não deixo de pensar se vale a pena toda esta dedicação profissional, quando do outro lado da barricada sinto que estas não estão ser umas eleições normais. Tudo está conformado no topo, apenas cá em em baixo, os mais “pequenos”, acreditam que, com o novo circulo eleitoral (compensação), podem chegar ao parlamento. Com todo o respeito pela classe política, já estou um pouco cansado de ver alguns artistas a brincar às eleições. Outros não fazem por convicção mas pelo materialismo e exposição pública, todavia, ainda há os sonhadores, aqueles que vêm na política uma arte maior de servir o povo. Agora pensem e escolham. Votem, mesmo que seja em branco!

domingo, 5 de outubro de 2008

Sentidos:Visão.

Confesso que só tinha lido um livro de António Lobo Antunes. Gostei, mas penso que foi numa altura errada e pouco preparada para entender a “loucura” e o requinte deste mestre da literatura portuguesa. Decidi voltar a procura-lo!!!!!
Nesta altura de eleições, com discursos previsíveis e outros do ramo da ficção científica, apetecia-me algo diferente, desconcertante, realista, acutilante e refinado.
Optei por comprar o primeiro volume do Livro de Crónicas (Já conhecia alguma da sua vertende cronista através da C. Social).
Excelente escolha; notável a forma como descreve a sociedade e as memórias. Mas o melhor mesmo, é a subtileza do seu humor.
Prazer!
Concordo com esta opinião que encontrei algures:

“Sobre o Lobo Antunes já tudo foi dito. Ele escreve bem, é genial. É bom, tem feitio difícil. Fez isto e aquilo. Curou loucuras. Enlouqueceu. Escreveu isto, aquilo e mais aquilo. Devia, ou nem por isso, ter ganho o Nobel.Neste livro de pequenas crónicas ficamos abismados com o que consegue ver: reconhecemos estereótipos em “ Os meus Domingos”, vemos descritas com um humor refinado pequenas e grandes angústias, criticas subtis que atravessam todos os estratos sociais em Portugal nas últimas décadas. Muitas ficção, outras recordações, como “Retrato do Artista Enquanto Jovem” ou “As Pessoas Crescidas”... a diversidade aliada à brevidade arremessam sempre palavras com emoção e não escapa nem mesmo o leitor mais distraído."
PS – Lobo Antunes e Mário Crespo protagonizaram, este ano, na Sic Notícias a melhor entrevista que vi nos últimos anos. Uma lição de vida em todos os sentidos.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

OBRIGADO, pelos vossos olhares....


Este humilde blog feito para divagar, para amigos e conhecidos, apesar de todos serem bem vindos (quem vier por bem), atingiu as 10 mil visitas num ano (completa 1 ano no final do mês).

A todos os que partilharam o meu pequeno "esconderijo" com momentos de alegria, tristeza, euforia, dor, revolta, critica, gosto, sentimentos etc... o meu muito obrigado. Trata-se de uma pequena anatomia dos meus sentidos....

Desculpem qualquer coisa.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Fragmentos...

O imperativo da moral não consegue dominar os sentidos,
Nem mesmo uma razão rasgada pelo valor universal.
Dizem que os sentimentos fogem ao domínio da razão.
Dizem eles… é tão fácil inventar.
Olhem para dentro!!!!
Não acreditem em mais nada, nem mesmo no fim da estrada.
Os sentimentos são cobardes….
Não acreditem em falsas montanhas, em paraísos construídos.
A magia de um batimento descompassado morre na esperança.
São rostos trocados por fantasias da inocência da vida.
Notas soltas numa partitura desafinada pelos tambores do tempo.
Cai a batuta de uma orquestra que teima em tocar o hino da ilusão.

S.Soares

terça-feira, 30 de setembro de 2008

LINDO! Obrigatório ver....faz pensar...

Cientistas sul-coreanos filmaram um grupo de golfinhos a tentar salvar um membro da sua espécie mantendo-o à superfície do mar. As imagens foram captadas durante uma investigação no Mar do Japão.

Sigur Rós (Rosa da Vitória).

Algumas pessoas têm me perguntado quem são os Sigur Rós e se as musicas deles são semelhantes à que está na Playlit Anatomia do Som (ver ao lado).
Respondo que sim, que são fantásticos, nomeadamente para ouvir nesta estação do ano ou num clima de descontracção total. Editaram trabalhos aclamados pela crítica internacional e com vários prémios à mistura. Cantam em islandês e, na minha opinião, são sublimes, primeiro estranha-se depois entranha-se! (Pessoa). Eu Adoro-os e gostava de vê-los a 11 de Novembro em Lisboa na remodelada Praça do Campo Pequeno.

Trailer do Filme - Documentário “Heima”. Lindo para ver noite dentro com o som bem alto e a mente vazia.


Sigur Rós - svefn-g-englar – Um vídeo fantástico feito com portadores de deficiência.


Ver mais sobre Sigur Rós aqui ou no YouTube.

sábado, 27 de setembro de 2008

Nova Anatomia do Som, ao lado...

Sigur Rós – Estes islandeses são das minhas bandas favoritas, um tema monumental!
Metallica – O single de lançamento de um dos melhores trabalhos da banda.
Coldplay – Uma amostra do melhor CD (na minha humilde opinião) dos britânicos.
Keith Jarret – Já tive o prazer de ver – para mim - o melhor pianista vivo do Jazz.
Tindersticks – Há mais de 13 anos que acompanho esta banda “sussurrante”. Adoro.
Thievery Coproration – Mestres da electrónica e pioneiros de uma corrente.
Jay Jay Jahonson – Para mim, o melhor concerto que vi no Teatro Micaelense.
Ben Harper – Um senhor, aqui com uma versão dos Verve.
Eddie Vedder – Vocalista dos Pearl Jam, sempre com uma voz brutal, num tema da banda sonora “Into The Wild” – um dos filmes da minha vida.
Hercules.. – Um bom tema de dança com uma letra que faz pensar, algo raro.
Air – Uma remistura para um dos melhores álbuns da década de 90 (Moon Safari)
Royksopp – Versão alterada de um tema que tem um vídeo lindo, do melhor.
Dust Galaxy – Um dos membros dos T. Corporation fez isto... Passou da dança para o rock e cantou... ar fresco.
Damien Rice – Uma balada da banda sonora “Closer”, um filme engraçado.