quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Bom ano!

Foto: S.Soares - Pico
Receita de ano nov0- Carlos Drummond de Andrade
Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intençõespara arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditarque por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Os favoritos de 2008

Música - (a ordem é aleatória)
Portishead - Third
Sigur Rós - með suð í eyrum við spilum endalaust
Coldplay – Viva La Vida
Metallica - Death Magnetic
Thievery Corporation – Radio Retaliation
Tindersticks - The Hungry Saw
Nick Cave and the Bad Seeds - Dig!!! Lazarus!!! Dig!!!
Hercules and Love Affair - Hercules and Love Affair
Radiohead - In Rainbows
Brad Meldhau Trio Live (jazz)
... e tantos outros...

Melhor descoberta musical em 2008....
Anthony and the Jonhsons (vem a Portugal em 2009 com novo disco)

Filmes que vi em 2008 e gostei
Este País nao é para Velhos
Into The wild
Tropa de Elite
There Will Be Blood
Bom Pastor
Sweeney todd
....e muitos outros que agora não me recordo.


Livros que gostei em 2008
Paul Auster- Homem na Escuridão
Lobo Antunes- Crónicas vol-1
Haruki Murakami - Em Busca do Carneiro Selvagem
Haruki Murakami - Dança, Dança
Cormac McCarthy - Estrada
Paul Auster - Post scriptum
Bem-Shahar - Aprender a Ser Feliz
Fareed Zakaria - Mundo Pós-Americano


Concertos preferidos que assisti em 2008
Metallica
Leonard Choen
Madonna
Sigur Rós
Jay-Jay Johanson
Mariza

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

O outro natal...

Amigo, companheiro, carinhoso, docil, amistoso, educado, inteligente, alegre e verdadeiro.
Regresso ao passado....
Olhar as emoções nas ondas....

Fotos: S.Soares

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Bom Natal

Acordei assim, com um breve olhar sobre o mar do Pico.

Fotos:S.Soares



segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

domingo, 21 de dezembro de 2008

Há sempre uma primeira vez...

Apesar de consumir algumas vezes vinho, só nos últimos 6 anos comecei a tentar perceber a rica e complexa cultura do vinho. Tenho tentado entender todo o seu processo e estrutura, embora esteja ainda numa etapa inicial. Curioso!
Sempre ouvi falar no histórico “Barca Velha”, mas devido ao seu “peso” financeiro, nunca tinha provado. Este domingo tive o prazer de ter esse “orgasmo gastronómico”.
O meu grande amigo, compadre, lutador, positivista, super-homem nesta vida, R. Gaspar, partilhou comigo uma dessas “garrafitas” É mesmo bom!!!!
Agora levanta-se um problema, a partir daqui vai ser mais difícil dizer que este ou aquele vinho é bom.... não sei quando vou voltar a abraçar um Barca. O Próximo alvo é um Batuta.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Acreditar.... Bom descanso

Acreditar...
Somente acreditar...
Pensa nos que te rodeiam,
Naqueles que acreditam em ti...
Eu acredito...
A vida é tão curta para a enchermos de “não consigo”
Viver é acreditar...
Acreditar num mundo melhor
Acreditar que o sol irá brilhar amanhã
Acreditar que podemos ser felizes
Acreditar que os nossos desejos se vão realizar.
Acreditar... acreditar... acreditar.
Acreditar para poderes sorrir,
Acreditar para poderes sentir,
Acreditar para poderes viver.
Para que o mundo te possa sorrir
Tens que sorrir para o mundo e acreditar...
Mais uma vez acreditar que és capaz
Aquilo que tu desejares não se realizará
Apenas se não acreditares.
Por isso acredita na vida, para que a vida possa acreditar em ti.


(Andreia, não sei quem é, encontrei na net)

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

O fado de Lisboa....


Foto: S.Soares (10-11)

Lisboa e o brilho do seu rio com o Cristo Rei a dar as boas vindas. Uma cidade com “Vida” suspensa no tempo. Ruas com história e com vários horizontes entre a luz e a escuridão.

O tal... polémico e genial

Não me canso de sublinhar, esta personagem ésta sempre bem e este sketch é um mimo!Do melhor!

domingo, 14 de dezembro de 2008

Sentidos:Visão sobre P.Delgada

Fotos: S.Soares






Domingo.

(...)

Como diz o ditado, depois da tempestade vem a bonança. Uma intervenção dos deuses.

sábado, 13 de dezembro de 2008

Porto da Felicidade...

....Chama-se autoconfiança. Simultaneamente é preciso ACREDITAR e também AGIR para que possamos alcançá-lo! Pega-se num pequeno barco, num dos remos escrevemos agir no outro acreditar e remamos até ao infinito, pescando pelo meio a felicidade.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Fim-de-semana em fuga...


Uma corrida em busca do horizonte.
Uma linha que brilha
Uma caminhada em liberdade
Uma meta sem fronteiras.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Comovente!

Isto faz-me pensar no caminho da humanidade, no egoísmo selvagem, na falta de amor pelo próximo.
Aqui, um animal dá um exemplo ao ser humano. Ao ver um cão a ser atropelado numa perigosa auto-estrada, um simples cachorro arrisca a vida para salva-lo. Dá que pensar.
Como já aqui escrevi, à medida que conheço melhor os Humanos desta sociedade, cada vez gosto mais de aprender com os animais, porque também falho....



Conclusão: Nós somos cada vez mais animais e os animais cada vez mais humanos!!!

Wild Horses

Pois...





I feel these four walls closing in
Face up against the glass
I'm looking out, hmmm
Is this my life I'm wondering
It happened so fast
How do I turn this thing around
Is this the bed I chose to make
There's greener pastures I'm thinking about
Hmm, wide open spaces far away

All I want is the wind in my hair
To face the fear but not feel scared

wild horses I wanna be like you
Throwing caution to the wind, I'll run free too
Wish I could recklessly love like I'm longing to
I wanna run with the wild horses
Run with the wild horses, oh

sábado, 6 de dezembro de 2008

Bom e polémico...

Acabei de ver o programa de humor do Canal-1 “Os Contemporâneos”.Considero que vai dar que falar. A personagem o “Chato”, aquele que diz: “vai mas é trabalhar”, decidiu meter-se num confessionário e gozar com um padre. Foi brutal, mas penso que a Igreja portuguesa vai fazer barulho. Uma coisa é certa, o actor Nuno Lopes (um excelente e versátil actor) esteve mais uma vez muito bem. Repito, é a melhor personagem de humor na TV nacional, na minha opinião, claro.
Fica aqui um exemplo de um “sketch” mais antigo:

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Bom descanso!

Anatomia dos sentidos do grande Marley....

Construir


O mundo está nos sentidos.
Somos nós que construímos as nossas imagens. O que vemos é uma mentira. A verdadeira realidade é construida dentro de cada um. Não se deixem enganar pela voz do pensamento e da mente, desliguem e construam a vida que desejam.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Sempre profundo e verdadeiro.... "louco"

Texas Radio And The Big Beat.... Love me two times...

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Missão...


Tentem ver felicidade sempre como um meio, diariamente, e não apenas como um fim, uma meta num horizonte temporal.
Não basta ter um bom emprego, ser rico, amar ou ter uma casa de sonho para sentir a felicidade. Está para além do que vemos ou sentimos.

Ser feliz é um conceito que aplicado à vida devia exigir, por vezes, sacrificar um pouco a nossa felicidade em prol da felicidade do próximo. Criar uma corrente de altruísmo numa sociedade cada vez mais virada para liberdade individual.
Se querem assim, deixem a liberdade (sempre limitada no paradigma filosófico) correr, mas procurem-na primeiro dentro da alma e depois libertem os prisioneiros. Deixem-nos ser felizes!